Making Of - O Último Inimigo

O_Último_Inimigo.JPG

Making of é um espaço para apresentar curiosidades sobre como meus romances foram desenvolvidos. 

Se você não leu o livro, gostaria de sugerir que leia antes do Making of, porque está página contém detalhes dos personagens e do enredo.

O INÍCIO

Quando criança, sonhava em entrar para a Força Aérea. Minhas escolhas não me levaram para este destino, mas a paixão pelos aviões de guerra, pilotos e suas aventuras sempre foi uma das minhas leituras prediletas. Colecionei revistas, livros e vídeos sobre a aviação, desde a I Guerra Mundial até os dias atuais. Também sou plastimodelista, um hobby dedicado a montagem de miniaturas, e passo as tardes de sábado e domingo montando réplicas de aviões de combate e imaginando a vida dos pilotos, seus amores, alegrias e angústias diante dos combates.

O Último Inimigo foi o projeto mais longo, levei cinco anos para concluí-lo. Pesquisei muito antes de escrever, eu desejava fazer uma grande história sobre pilotos brasileiros. Acredito que escrevemos muito pouco com o objeito de criar mitos e heróis. Um país precisa de mitos, precisa de referências, meu livro é uma pequena contribuição neste sentido.

Apesar de ser uma história de ficção, o romance é uma homenagem da coragem dos pilotos que atuaram pelo 1º Grupo de Avião de Caça na Itália durante a Segunda Guerra Mundial.

O ENREDO

O Último Inimigo inicia nos dias atuais, com a chegada de Gunter Webber ao Brasil. O famoso ás alemão da Segunda Guerra Mundial procura quatro pilotos brasileiros, e encontra Félix e Dávalos. Vivendo uma vida pacata numa pequena cidade no sul do Brasil, os dois brasileiros relutam em admitir que um dia foram pilotos de combate, mas a aparição do antigo inimigo reacende as recordações sobre o seu passado misterioso. 

Uma surpresa para a jovem Cláudia, neta de Félix, que descobre que seu avô foi um piloto de combate, e junto com três outros pilotos brasileiros, combateram na Segunda Guerra Mundial. A história não é apenas o relato dos combates aéreos, mas uma narrativa do patrulhamento do litoral brasileiro, da importância da base aérea de Natal, a maior base aérea aliada na guerra  e sua importância para a vitória aliada. 

Criando um outro paralelo no enredo, descrevi o lado alemão da guerra, que será narrado por Gunter, na angústia dos pilotos alemães para proteger a Alemanha dos bombardeiros aliados.  Juntos, eles irão reviver suas lembranças do maior conflito da humanidade. 

 PROTAGONISTAS

O livro é uma evolução da minha narrativa, o acréscimo de personagens, além do ambiente ampliado. Diferente dos livros O Espírito da Noite e Navio Fantasma, que são histórias em ambientes restritos, com um número menor de protagonistas, O Último Inimigo acontece em tempos diferentes,  em vários lugares e uma descrição detalhada sobre os combates aéreos da Segunda Guerra Mundial.

Uma história sobre honra, amizade e patriotismo, narrado por quatro jovens pilotos brasileiros de combate. Há também uma dualidade narrativa, entre os pilotos brasileiros em combater a Luftwaffe, e Gunter Webber, que narra o desespero em defender sua pátria e sua amada Úrsula dos ataques aliados. 

A jovem Cláudia, neta de Félix, se apaixona por Rudolf, o jovem alemão que acompanha Gunter, sem saber que ele esconde um segredo, o verdadeiro motivo de sua busca pelos pilotos brasileiros.

Criei vários personagens secundários para enriquecer a história, como o coronel John Miller, que ajudará os pilotos brasileiros a se livrarem do inescrupuloso general Tiller. Úrsula é a amada de  Gunter. Dietrich, um experiente piloto da Luftwaffe e seu amigo inseparável. A Baronesa Annete, uma mulher ambiciosa e destemida, que ganhará relevância ao longo da trama e também por disputar o amor de Gunter. 

TÉCNICAS USADAS

Gosto de usar "quebra de linearidade de tempo". Não é fácil usá-la, existe sempre a preocupação para não deixar o leitor perdido na história.

O livro se passa nos dias atuais, com os personagens relembrando a Segunda Guerra Mundial. Eu queria escrever um livro que retratasse os diálogos com certa ironia e acidez, além de uma velocidade condizente com a época em que a história se passou. Não é um thriller de ação, como o primeiro livro de Crônicas Templárias, mas um drama sobre vidas colocadas no limite entre a vitória e a derrota, o amor e a perda causados pelos horrores da guerra.

Para retratar o cotidiano dos pilotos, os aviões, o dia a dia nas bases aéreas e os combates aéreos, fiz muitas pesquisas, e para quem se se interessa em livros como o "O Último Inimigo", eu recomendo "O Primeiro e o Último" do ás da Luftwaffe Adolf Galland, "O Grande Circo" do piloto francês Pierre Clostermann, "A Última Rajada" de Peter Henn, o clássico "A Águia Pousou" e "A Águia Voou" de Jack Higgins, "O dia D", de Stephen Ambrose, e "Sombras da Noite", de Martin Drewes, que foi piloto da caça noturna alemã e viveu na cidade de Blumenau - SC, até falecer em 2013. Há vários outros livros que pesquisei, além da Internet, que possui vasto material sobre U-boats e a base aérea de Natal.

Hoje em dia, quando se possui interesse e vontade, há muito material disponível para pesquisa.

Há um livro escrito pelo Brigadeiro Rui Moreira Lima, "Senta a Púa", que narra a história do 1º Grupo de Aviação de Caça na Itália. Um livro excepcional, foi transformado em um documentário e deveria receber maior atenção por nós, por ser uma história de coragem e superação, de brasileiros que lutaram para defender o Brasil.

CURIOSIDADES

A Capa - Dividi a história em duas partes, e ajudei a criar as capas originais. Em 2016, elas foram alteradas para a criação da identidade visual do escritor Alex Bitten.

 

 

 

 

 

 

O TítuloO primeiro título era "Cartas de Guerra", a história teria um enfoque na troca de cartas entre os protagonistas. Reescrevendo o esqueleto, alterei a narrativa, para que se passasse nos dias atuais, com os personagens relembrando o que haviam vivenciado,  e esta versão recebeu o título definitivo.

Trilha Sonora - Sempre que escrevo, escolho uma trilha sonora, e com O Último Inimigo não foi diferente. A batalha contra o submarino foi criada ouvindo The Battle, do filme Gladiador. Para criar as batalhas aéreas, usei a fúria das músicas do disco Fallen, da banda Evanescence. A melancolia e a tristeza dos personagens, sua relação de insegurança e perda de laços de amor e amizade, escrevi ouvindo "Now we are free" de Lisa Gerard, do filme Gladiador.  

 My Immortal, também da banda Evanescence, embalou o romance de Navarro e Anne Marie.

A Casa de Félix - A Casa de Félix é na verdade a casa de minha avó. Passei parte da minha infância lá e resolvi colocá-la na história como uma espécie de homenagem e porque me traz ótimas recordações.

O Clímax - Não há um clímax como em A Casa do Capitão, mas existem momentos cruciais no desenrolar da trama. A morte do piloto Navarro e sua dor ao saber que não encontraria Anne Marie foi muito dolorosa de escrever.

 

Acredito ter sido feliz no encontro de Gunter com Annete, após sua libertação da prisão de Ludorff, e o corrida do coronel John Miller para encontrar sua amada com sua filha, na estação de trem.

Eu tinha dois finais, um trágico e outro  não, mas resolvi terminar a história na praia de Itapirubá, uma das mais belas que já conheci, no litoral de Santa Catarina.

Há uma alusão na história, de que Cláudia é na verdade a reencarnação de Anne Maria e o jovem Navarro, seria o piloto brasileiro Navarro.  Uma possibilidade sobre a eternidade do amor.

Os quatro pilotos brasileiros eram na verdade cinco, Luciano, Féliz, Dávalos, Marras e Navarro, uma homenagem a quatro amigos que também adoram aviação.

Eu, é claro, sou o quinto piloto.

O_Último_Inimigo_I_Parte_Amazon.jpg
O_Último_Inimigo_II_Parte_Amazon.jpg

O FUTURO

Não há uma sequência para O Último Inimigo, mas gostaria de registrar um fato curioso. Os livros foram usados em três  colégios na cidade de Tubarão - SC,  e vários alunos disseram que a história deveria virar um filme.

Como sonhar não custa nada, confesso que não seria nada mal vê-lo transformada em um filme. Mas isso eu deixo a cargo do destino.